PJR do Litoral RS: contra a Reforma da Previdência

Na manhã do dia 15 de março de 2017, dia nacional de paralisação contra as Reformas da Previdência e os retrocessos na Educação, militantes da Pastoral da Juventude Rural, da regional Litoral do Rio Grande do Sul, se somaram a mulheres e homens, agricultores familiares, professores, estudantes, servidores públicos, e demais militantes de movimentos sociais para protestar contra à perca de direitos. Direitos estes que a classe trabalhadora só teve acesso após muita luta e resistência.

O ato, que é parte de uma agenda de lutas nacionais, reuniu cerca de 120 manifestantes na rodovia RS 453, mais conhecida como Rota do Sol, que liga a Serra Gaúcha ao Litoral, no trevo de acesso à Três Forquilhas.

O governo golpista de Temer, pretende acabar com as conquistas e direitos sociais da classe trabalhadora. Portanto somos chamados à luta, em defesa dos direitos do povo brasileiro.

IMG_1659.JPG

Postado por Comunicação Nacional da PJR Brasil

Texto e Images: Anelise, PJR do Rio Grande do Sul

Anúncios

PJR RS PARTICIPA DO 12º ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE NA 40ª ROMARIA DA TERRA

Os jovens da Pastoral da Juventude Rural – PJR do Rio Grande do Sul participaram e atuaram na organização do 12º Acampamento da Juventude Campo e Cidade, nos últimos dias 26 e 27 de fevereiro de 2017. O mesmo, fez parte da programação da 40ª Romaria da Terra, ocorrida em 28 de fevereiro, no Assentamento Fazenda Anonni, na Cidade de Pontão, Arquidiocese de Passo Fundo/RS.

O acampamento reuniu mais de 600 jovens, do campo e da cidade, para estudo, luta e celebração da caminhada. Segue a carta produzida pelos jovens participantes desta atividade.

CARTA DO 12º ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE

Nós, 620 jovens de pastorais e movimentos sociais populares de todo o Rio Grande do Sul, reunidos no 12º Acampamento da Juventude, dentro da programação da 40ª Romaria da Terra, afirmamos que “preferimos morrer lutando do que morrer de fome”.

Estamos reunidos no assentamento do MST na Fazenda Anonni, terra de Rose, marco da retomada da luta pela terra. Foi aqui, numa noite de lua cheia, na madrugada do dia 29 de outubro de 1985, que 7,5 mil pessoas ocuparam um dos maiores latifúndios desta região. Os jovens protagonizaram aquele momento e seguem nas lutas hoje. Aqui se construiu uma amostra de reforma agrária concreta, com organização da produção e com participação dos jovens e das mulheres. Vivenciamos a organização e a luta, suas potências e suas dificuldades.

Nós somos lutadoras e lutadores, filhas e filhos de uma história de luta, herdeiras e herdeiros de compromissos como a transformação da realidade e com a construção de mais vida e vida em abundância.

Este acampamento é a experiência concreta que mostra que a unidade das organizações que querem um mundo melhor existe e continua sendo uma necessidade ainda nos dias de hoje, especialmente quando somos chamadas e chamados a resistir a tempos em que nos golpeiam e que querem nos fazer crer que não há mais futuro. Afirmamos que a unidade dos pobres, das trabalhadoras e dos trabalhadores, continua sendo a principal estratégia da ação libertadora. Continuamos acreditando que ninguém mudará o mundo por nós, que ninguém liberta ninguém e que nos libertamos em comunhão. Por isso, seguimos acreditando que somente a organização e a luta que forjam a unidade das trabalhadoras e dos trabalhadores é que produzirá as transformações necessárias para construir o projeto popular.

Estamos aqui e afirmamos com força que não aceitamos o governo golpista e ilegítimo, repetimos com milhões de brasileiras e brasileiros: “fora Temer”. Não aceitamos retrocessos nas conquistas e o desmonte dos direitos que vieram de muita organização e luta: “nenhum direito a menos”, “nenhum camponês sem terra, nenhuma família sem teto, nenhum trabalhador sem direitos” (Papa Francisco). Não aceitamos pagar a conta do ajuste fiscal com a redução de direitos e somos contra todo tipo de austericídio. Não aceitamos a reforma da previdência que penaliza as trabalhadoras e os trabalhadores e especialmente as mulheres. Não concordamos que a educação é neutra e somos contra a proposta de “escola sem partido” e a reforma do ensino médio. Somos contra o machismo, o racismo, a homofobia, o patriarcalismo, o feminicídio e todos os fundamentalismos. Enfim, somos contra o projeto neoliberal, que de novo nada tem, pois apresenta as mesmas propostas que só atacam os pobres e a classe trabalhadora.

Estamos aqui porque acreditamos que ainda há lugar para um outro mundo possível, que estamos num tempo em que precisamos resistir e também dar passos na construção do projeto popular para o Brasil. Por isso é necessário seguirmos na organização e no fortalecimento da luta da classe trabalhadora. Sabemos que nunca foi e seguirá sendo uma tarefa que não é fácil, pois temos muitas contradições que ainda precisamos superar, temos muito a aprender. Masestamos confiantes que este é o caminho e que o faremos caminhando, na construção da utopia, de uma sociedade nova que promova a diversidade e a pluralidade e que afirme o protagonismo das mulheres e dos jovens.

Em tempos sombrios, fizemos o sol brilhar, mesmo em dia de eclipse, e afirmamos com coragem que nosso compromisso segue sendo com a construção de um mundo no qual caibam todas e todos.

Somos jovens, seguirmos nos organizando. Seguiremos juntos, em luta!

Pontão, RS, 27 de fevereiro de 2017.

Postado por Comunicação Nacional da PJR

Pastoral da Juventude Rural realiza Escola Estadual de Formação em Morro Azul, Três Cachoeiras

Entre os dias 24 a 28 de fevereiro de 2016, a Pastoral da Juventude Rural – PJR realizou a Escola Estadual de Formação, como parte do processo formativo da juventude camponesa. O encontro reuniu mais de 50 jovens, de diversos municípios do Rio Grande do Sul, alguns representantes de Santa Catarina e um jovem do espírito Santo.

Após os cinco dias de muito estudo, reflexão da caminhada da juventude camponesa, de partilha da vida, dos sonhos e das lutas do jovem na roça, os participantes adquiriram maior formação humana, amadurecimento na fé, aprofundamento da espiritualidade, e firmar a sua identidade de jovens militantes de uma pastoral social a serviço da juventude da roça.

rsfev20162

O grupo fez estudo da Análise de Conjuntura, com o objetivo de estudar os diversos fatos da sociedade, para que possamos compreender seu funcionamento. Conhecer a realidade, para atuar de forma mais correta. Teve como mediadores: Fabrício Raupp, Gervásio Toffoli, Leonardo Maggi, Eduardo Cardoso e Augusto Bobsin.

Os jovens também debateram sobre Agroecologia, com Cláudio Alberto dos Santos. A agroecologia, enquanto uma ciência emergente que estuda os agroecossistemas integrando conhecimentos de agronomia, ecologia, economia e sociologia. Busca desenvolver um sistema produtivo baseado nos princípios da vida, da sustentabilidade, solidariedade, a partir de um projeto agrícola socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente correto.

O padre Luciano Motti contribuiu na assessoria trazendo o tema da Campanha da Fraternidade, Casa Comum: nossa responsabilidade, bem como da Encíclica do Papa Francisco, Laudato Si’- Louvado Sejas! Trouxe a reflexão de como a fé pode contribuir para a superação da crise ecológica e como as ações das pequenas comunidades onde vivemos, podem sinalizar uma nova civilização.

rsfev20161

Os jovens tiveram a oportunidade de participar de diversas oficinas na tarde da sexta-feira (26), como: Saúde alternativa; Fotografia; Mística; Caldas e biofertilizantes; Música e Pintura, com a confecção da bandeira da PJR.

No sábado (27) o grupo fez visitas às propriedades agroecológicas, na Agroindústria Morro Azul e a Família Fernandes na Raposa. Neste mesmo dia, tivemos a honra de receber Dom Jaime, bispo diocesano em Osório. O mesmo reafirma a importância que a PJR tem no serviço de evangelização da juventude do campo, bem como de seu trabalho, na produção de alimentos saudáveis. Na mesma noite, a comunidade de Morro Azul, o Pe Marcelino Willrich, e a juventude celebraram uma bela missa, rica na simbologia do trabalho e da vida dos jovens camponeses. E para finalizar, o último dia foi de vivência e confraternização na praia.

Natan Fernandes, 21 anos, afirma: “Sou um jovem do campo, tenho orgulho de ser agricultor, e cuido da terra como se cuida das pessoas ao nosso redor. A PJR contribuiu para que possamos dar valor a terra, a viver com dignidade e qualidade de vida no campo”.

rsfev20163

 

 

 

 

 

Escola de Formação da PJR alcança objetivos no RS

Jovens camponeses e camponesas de diferentes regiões do Rio Grande do Sul estiveram reunidos entre os dias 24 a 28 de fevereiro na Escola Estadual de Formação da PJR RS que aconteceu na comunidade de Morro Azul, município de Três Cachoeiras, litoral gaúcho.

Foram estudados temas como a evangelização da juventude camponesa, agroecologia e a Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como preocupação central o cuidado com a Casa Comum Mãe Terra.

No sábado, 27, a Escola contou com a ilustre visita de Dom Jaime, Bispo da Diocese de Osório/RS.

 

PJR convida para a Escola Estadual de Formação no RS

 

 “Nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos”. Papa Francisco

 

É com muita alegria que a Pastoral da Juventude Rural (PJR) do Rio Grande do Sul, convida os jovens e a todos que contribuem para que a juventude permaneça no meio rural, a conhecer a proposta da Pastoral da Juventude Rural e participar da escola de formação que acontecerá de 24 a 28 de fevereiro, na comunidade de Morro Azul, em Três Cachoeiras, no Litoral Norte gaúcho.

Participe do debate sobre a realidade do jovem campesino gaúcho. A proposta da escola é refletir sobre a vida dos jovens, cristãos e atuantes na sociedade, somar experiências a partir das diversas realidades no estado, e construir juntos um mundo melhor para viver.

O objetivo geral da Escola de Formação é desenvolver ações de formação humana, e articulação de grupos de jovens nas comunidades rurais do Rio Grande do Sul, a fim de possibilitar condições de permanecer na roça com dignidade, e assim:

Proporcionar aos jovens uma formação que os amadureça na fé;

Criar espaços de celebração da fé e da vida e aprofundamento da espiritualidade;

Fortalecer a organização da juventude rural e incentivar a criação de grupos;

Proporcionar condições concretas para os jovens, que possam acompanhar e coordenar a PJR em nível regional e estadual;

Formar jovens que possam contribuir no desenvolvimento de práticas agroecológicas e organizativas nas comunidades.

A programação é recheada de momentos de formação, de partilha, oração, confraternização e vivência. A escola inicia com a mística de abertura na quarta-feira (24), às 17h30min. Terá análise de conjuntura, os desafios da PJR frente à conjuntura atual, estudo sobre agroecologia e o tema da Campanha da Fraternidade, o cuidado com a Casa Comum. Será debatido sobre a organização da PJR e as ações de evangelização da juventude camponesa.

Além disso, o grupo visitará parte do roteiro de turismo rural Vale do Paraíso em Morro Azul, algumas experiências em propriedades agroecológicas, banho de rio, noite com música e fogueira, oficinas e, para finalizar terá um passeio na praia de Torres.

Para fortalecer a fé, a Missa será celebrada na noite do Sábado (27), às 20h com a presença do Padre Marcelino.

 

Orientações:

Será solicitada uma contribuição no valor de R$ 15,00, que poderá ser negociada por alimentos;

Os jovens não devem se esquecer de levar repelente, protetor solar, boné ou chapéu, roupa de cama, travesseiro, produtos de higiene pessoal e barraca (se tiver);

Na programação tem um passeio turístico na comunidade com banho de rio, e no domingo praia, então os jovens devem estar preparados com roupa de banho;

Trazer material de anotação e quem tiver, traga sua agenda de 2016;

No local terá pratos e talheres, não precisa trazer de casa. Mas traga sua caneca, para reduzirmos o uso de copos descartáveis;

Uma ótima preparação, e sejam bem-vindos ao Litoral Norte!

Informações pelo e-mail: pjrnors@gmail.com

PJR realiza encontro no litoral gaúcho

 

No dia 6 de janeiro de 2016, a Região Litoral, do estado do Rio Grande do Sul realizou mais uma atividade junto à juventude camponesa: O Grupo de Vivência do Litoral.

Foi na comunidade de Morro Azul, em Três Cachoeiras/RS, no local onde será realizada a Escola Estadual de Formação da RJR – RS.

O grupo se reuniu para confraternizar (tomar banho de rio, conversar, tomar um mate e saborear um bom churrasco), mas também para preparar alguns detalhes para a Escola Estadual de Formação que se aproxima! Planejando, distribuindo tarefas e se preparando para melhor acolher a juventude do campo!

Coloque na agenda, nossa Escola será de 24 a 28 de fevereiro de 2016, no Litoral!