Juventude camponesa organizada, lutando, resistindo e produzindo

A Pastoral da Juventude Rural – PJR realizou entre os dias 18 a 23 de Janeiro de 2017, no Centro de Formação Nacional Paulo Freire no Assentamento Normandia em Caruaru/PE. O II Intercâmbio e Feira Nacional de Sabores e Saberes da Juventude Camponesa, onde estiverem presentes jovens de diversos recantos do Brasil militantes da PJR, somando uma quantidade de 350 jovens do Campo e da Cidade.

Tendo em vista os objetivos de fortalecer a Juventude Camponesa, para que a mesma possa permanecer e viver no campo, é que a PJR promove mais um Intercâmbio e Feira Nacional, para os jovens socializarem suas experiências a partir dos Grupos de Produção e Resistência – GPR’s, como também intercambiar experiências inovadoras protagonizadas pela militância da PJR em seus Estados.

Sendo que é imprescindível uma compreensão melhor do cenário político e da realidade agrária brasileira, motivos pelo qual leva ao jovem camponês ou a jovem camponesa a sair do campo, a questão do acesso a terra, foi realizada uma Análise de Conjuntura Política/Agrária com João Pedro Stédile da direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST. Momento criado para refletirmos a situação do país e dos desafios a qual a juventude e classe trabalhadora estão expostos. Stédile ainda ressalta que “a direita encontra-se desfragmentada, enquanto a unicidade da esquerda se fortalece”.

Sendo os Grupos de Produção e Resistência – GPRs, uma política desenvolvida pela PJR e também umas das três formas de organização dos grupos de base da mesma, é essencial que criamos espaços de socialização como também de avaliação dos mesmos. Para mediar e aprofundar a conversa sobre os GPR’s contamos com a presença de Sandreildo Santos, técnico agropecuário e acompanhante de alguns grupos no interior pernambucano, que relatou as experiências vividas nos grupos, como também salientou a importância da juventude se organizar nesses núcleos de produção, tanto para permanecerem no campo e como terem uma autonomia financeira. Assim a PJR aposta nessa forma de organização, como uma forma dos jovens conseguirem angariar recursos e como uma forma estratégica de organização da juventude campo.

Sendo que é nas bases que toda a formação é realizada, foi aberto um momento de socialização das experiências juvenis nos GPR’s, e dos desafios enfrentados para disseminação e fortalecimento dessas práticas. Assim todos os jovens dividiram-se em suas caravanas para avaliar os GPR’s em seus Estados, como também apontar os desafios para a constituição dos grupos, respeitando a singularidade de cada realidade.

Dando continuidade as atividades do dia foi realizada também a Feira Nacional de Saberes e Sabores da Juventude Camponesa, espaço criado para os jovens dos GPR’s exporem e comercializarem seus produtos, produzidos agro ecologicamente. Para diversificar o dia foram ofertadas várias oficinas como: Culinária, Cordel, Audiovisual, Dança, Batucada, Stencil e Teatro, onde os jovens presentes puderam participar do que mais lhes tocavam, assim os jovens puderam viver a experiência na prática, a partir das oficinas, como também aprender algo novo.

Para falar um pouco e explicitar como a juventude camponesa pode contribuir no fortalecimento da Frente Brasil Popular, contamos com uma mesa composta por Jaime Amorim, Coordenação Estadual do MST Pernambuco, sendo que é analisando que compreendemos e percebemos as várias formas de invisibilização da juventude, em especial a do Campo, é que criamos espaços como este para mostrar o quanto a juventude pode contribuir na organicidade da sociedade. Assim Amorim pontua e aborda aspectos políticos da atual conjuntura, enfatiza a ditadura de toga na qual o poder judiciário detém total supremacia. Ele ainda fala e abre alas em sua palestra para os perigos do avanço do agronegócio, e dos problemas enfrentados para combater o mesmo no atual sistema Mundial.

Também para fortalecer o debate sobre práticas Agroecológicas contamos com a presença de Alexandre Pires do Centro Sabiá do Pernambuco, que pontua que o importante é “ressaltar a agroecologia como estratégia de luta contra ao agronegócio, e pode ser entendida como modo de vida”. Ele ainda diz que a construção da unidade trabalhadora e o trabalho de base, da ênfase e se ponta a elucidar o real significado e importância da agroecologia.

Finalizamos as atividades do II Intercâmbio e Feira Nacional de Saberes e Sabores da Juventude Camponesa com muita alegria e com a esperança que a juventude campo possa se organizar cada vez mais, nos grupo de base da PJR, e assim construirmos um projeto Popular para o Brasil, baseados nos princípios cristãos e da agroecologia, para que possamos ter uma natureza mais sadia e próspera para todos e todas.

registros-4-dia-18
Debate sobre os GPR’s, com Sandreildo Santos
pjr-anpjr-284
Análise de Conjuntura Política/Agrária, com João Pedro Stédile do MST
pjr-anpjr-674
Feira da Juventude Camponesa
pjr-anpjr-666
Feira da Juventude Camponesa
pjr-anpjr-664
Feira da Juventude Camponesa
registros-4-dia-377
Palestra sobre Agroecológia, com Alexandre Pires do Centro Sabiá

Confira mais fotos na FanPage do Facebook: Click Aqui

 

Imagens: Arquivos da Equipe de Comunicação Nacional

Postado por: Comunicação Nacional da PJR

 

Anúncios
Categorias:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s