Comunicação Popular é discutida durante encontro da juventude

Jovens discutem sobre a importância da comunicação e o que e de que maneira o coletivo precisa comunicar para a construção e fortalecimento de suas lutas

“Uma rede de comunicação comunitária popular. Um sonho só, que já não se sonha só. Caminha-se e…. Quem sabe? Basta que as gentes de toda a América do Sul se ponham a andar”! A citação é do texto da Jornalista Elaine Tavares, intitulado: “A batalha da comunicação”, o qual foi trazido e debatido durante a tarde de sábado, 30, no encontro de formação, avaliação e planejamento da Pastoral da Juventude do Meio Popular e Pastoral da Juventude Rural, que ocorreu no Salão Paroquial em São Miguel do Oeste/SC.

No primeiro momento, como coletivo que procura produzir a sua própria comunicação para dar vez àqueles que frequentemente são esquecidos pela grande mídia, o encontro evidenciou aquilo que o coletivo vem comunicado nos últimos anos, buscando entender de que maneira e em qual proporção a imprensa tradicional tem alienado e interferindo na vida das juventudes que compõem as organizações. É o que afirma a Jornalista Popular, Claudia Weinman.“Realizamos um trabalho em grupo discutindo um texto escrito pela Jornalista Elaine Tavares, o qual mostra a organização da comunicação na Venezuela, que nos serve de inspiração, e em seguida, colocamos alguns questionamentos procurando entender o que a juventude tem lido, ou então, porque é tão difícil fazer com que os jovens leiam e escrevam sobre suas pautas, suas lutas dentro das organizações. O que nos serve de estratégia para avançarmos nesse processo, tomando como base as realidades dessas pessoas”.

DSC_1426
Jovens fizeram trabalho em grupo para falar sobre importância da comunicação

A discussão trouxe à tona a importância da construção da comunicação pelas/os jovens das pastorais, de forma que esta seja parte fundamental no fortalecimento das lutas. “Acreditamos que trabalhar a comunicação em nossas organizações, seja na base, com as coordenações, ou a nível nacional da PJMP e PJR, é discutir a forma de nos organizarmos, uma vez que a comunicação é um todo que se completa. É a fala, é a escrita, são as imagens, e tem poder de mobilizar, de articular, de fazer acontecer os trabalhos em nossas bases”, ressalta Claudia. A Jornalista ainda destaca a importância de o coletivo saber o que comunicar para que todos e todas possam participar do processo de construção do Socialismo: “É preciso comunicar a luta do povo e assim, vice-versa. A comunicação popular é também uma forma de educar, de transmitir e disseminar saberes, por isso torna-se tão importante e necessária”.

DSC_1448
Para essa juventude, não basta comunicar, é preciso saber o que precisam comunicar

Ainda durante o dia 30, os jovens compartilharam suas histórias de vida com seus companheiros\as militantes. O encontro seguiu no dia 31 com avaliação e planejamento das ações para o ano de 2016 e distribuição da última edição do Jornal Comunitário, que será entregue pelos jovens nas comunidades do interior e da cidade de seus municípios, no Extremo-oeste Catarinense.

Texto e Fotos: Julia Saggioratto. PJMP\PJR-SC.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s