VI Congresso da CLOC – Via Campesina: olhares utópicos com pés arraigados.

O VI Congresso Continental da CLOC – Via Campesina foi encerrado na sexta-feira, 17 de abril, com uma marcha pelas ruas de Buenos Aires. Desde o dia 14, mais de 1200 lideranças camponesas de todo o continente discutiram caminhos para a organização das lutas do campo.

A abertura do VI Congresso Continental CLOC-VIA CAMPESINA, que teve como consigna “CONTRA O CAPITALISMO POR A SOBERANIA DE NOSSOS POVOS, A AMÉRICA UNIDA SEGUE EM LUTA”, teve representações de todos os países da América Latina, alguns países do Caribe e África.

marcha cloc

Na mística de abertura, foi denunciado o não acesso a terra, a privatização da água e do ar, a violência aos povos originários e aos campesinos/campesinas, a patentização das sementes crioulas, o extermínio da juventude, violência a mulher, campanha contra as transnacionais e o agronegócio, criminalização dos movimentos sociais; nos mostrando a importância da integração entre os trabalhadores do campo e da cidade, dará unidade a América para que sigamos lutando contra o capitalismo e fortalecerá a soberania popular.

Na primeira conversa com os participantes houve uma análise estrutural sobre os Estados Unidos da América, evidenciando a crise hegemônica e alertou o Argentino e sociólogo Atilio Boron que “quando um império entra em crise, ele volta muito mais violento, e este é um império que já esta em crise. Por tanto, temos que nos preparar para responder a esta debilidade”.

João Pedro Stédille endossou a importância de que para haja soberania de nossos povos, tem que haver a democratização da mídia e ratificou dizendo que a mídia é tão perigosa quanto o  latifúndio.

Os/as jovens da Pastoral da Juventude Rural – PJR sentiram-se motivados a participar e viram que “não há tempo para ter medo” como diria Carlos Marighela de disputarmos as ideologias e que nossa consigna “Terra, Pão e Dignidade” tem uma relação fortíssima com o que será discutido nesses dias.

Depoimento dos Participantes da PJR

Companheiras e companheiros da PJR, escrevo a partir da IV Assembleia da Juventude da CLOC (Coordenadora Latinoamericana das Organizações do Campo) e VIA CAMPESINA.

Um lugar de encontro.

Lembro-me que em nossa chegada, na manhã do dia 10, sexta uma companheira Argentina aproxima-se de nossa companheira Simone e diz que a conhece, mas não sabe de onde. Amigos de poucos e muito tempo.

simonecloc

Partilha

Olhar nossa realidade e mostra-la à outros.

Olhar a realidade de outros, da mesma forma que a nossa é olhada.

Sentir nos nossos companheiros a opressão a exclusão do sistema capitalista neoliberal. A dificuldade de nos mantermos no campo. Na vida que existimos e escolhemos. Do estudo nas escolas e universidade.

Lutar e saber que não estamos sós, companheiros e companheiras de diversos outros países de toda América Latina presente unificando a luta campo e cidade pela soberania popular.

Em união apontarmos o futuro a partir do presente. Olhares utópicos, com pés arraigados.

Para ler a declaração final do VI Congresso da CLOC-Via Campesina basta clicar aqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s